Home Governo de Portugal DGPC Home UNESCO
English Version

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2014

Tomar, 18/04/2014

Exma. Senhora Presidente da Câmara Municipal de Tomar

Exmo. Senhor Presidente da Assembleia Municipal

Exmo. Senhor Presidente do Instituto Politécnico

Exmos. Vereadores, Deputados Municipais, Presidentes de Junta e de Assembleia de Freguesia

Exmos. Senhores Comandantes do Regimento de Infantaria 15, da PSP, do Presídio Militar, da GNR, dos Bombeiros

Associações Culturais (que connosco fizeram parceria neste dia, aqui presentes)

Demais autoridades civis, militares e religiosas,

Senhores e Senhoras

Agradeço a presença de todos nesta partilha em comemorar o Dia Internacional dos monumentos e Sítios de 2014


2014 - Lugares de memória

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi criado em 1982, pelo ICOMOS (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios), aprovado pela UNESCO, com o objectivo de sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para o esforço envolvido na sua protecção e valorização.

O Convento de Cristo e a Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), em colaboração com o ICOMOS Portugal, promove este ano o DIMS sob o tema "Lugares de Memória".

A memória é a nossa identidade e o garante da nossa sustentabilidade no futuro. Este lugar é pleno de lugares e memórias da nossa identidade colectiva portuguesa e lusófona.


DIMS Programa

Decidi abrir excepcionalmente o castelo templário à visita do público, neste Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. Abrir ao público zonas habitualmente fechadas como é, por exemplo, o caso da zona da alcáçova, onde se encontra a torre de menagem, e a casa do Grão-Mestre, onde ficava o rei.

As comemorações que agora iniciamos, tiveram um ato simbólico - a entrega da chave à senhora presidente da Câmara Municipal de Tomar para abrir as visitas ao castelo templário.

O público pode, ao longo do dia, beneficiar de um programa de actividades que vai das demonstrações de artes medievais, como o tiro com arco, até à animação musical e ao teatro, passando pelos jogos destinados às famílias e às crianças, como o jogo de pistas ´O Tesouro dos Templários´.

Há também um conjunto de visitas temáticas, nomeadamente, "Os encontros da Lusitânia Transformada: da Cerca ao Convento de Cristo", que têm início no laranjal do Convento às 11:00 e às 15:00, sendo necessário fazer marcação prévia.

Um dos espaços mais nobres do monumento, a Charola (oratório templário), vai estar aberto durante todo o dia e mostrar as intervenções de restauro concluídas recentemente com o apoio de mecenato da empresa CIMPOR, Cimentos de Portugal.

O programa encerra às 16:30 com um concerto da Orquestra de Metais Canto Firme

Relevo que estas comemorações realizam-se em parceria com a Câmara, o Politécnico, o Regimento de Infantaria 15, a ADIRN, a Canto Firme, a Gualdim Pais, o Fatias de Cá, a Associação Portuguesa de Turismo Cultural, o grupo coral "Outros Cantos", o escultor João Iglésias, o CALMA (Clube de Atividades de Lazer e Manutenção) e a Escola Secundária Jácome Ratton.

A todos aproveito para agradecer.

DIMS - Porquê abrir a porta do Castelo?

Este é um dia especial para mim que iniciei funções há 2 meses como Directora.

Quando iniciei funções anunciei que iria abrir portas!

Na verdade, este monumento tem muitas portas para abrir, não só no sentido literal e material do termo, como no sentido estratégico e mesmo imaterial.

Para este DIMS, elegi abrir uma porta muito especial: a porta do Castelo Templário. Porquê?
Porque Templária é a marca da cidade e porque Templário é o início deste Convento de Cristo e desta bela Cidade e porque, estranhamente, sem dizer mesmo, misteriosamente, este Castelo Templário tem sido um castelo esquecido, desconhecido de muitos cidadãos e do mundo.

A importância do conjunto, Castelo e Charola Templária, representa uma época da história que nos leva a Jerusalém e à nossa nacionalidade.

Tomar tem a marca "Cidade Templária". Não há cidade sem o seu Castelo... por exemplo, Lisboa e o seu Castelo de S. Jorge são hoje uma das maiores fontes de receita nas visitas ao nosso património cultural.

Porque é que um Castelo, que é um dos mais notáveis testemunhos da arquitectura militar e Templária (ibérica e europeia), de fundamental importância na definição das fronteiras de Portugal, como ainda hoje são das mais antigas do mundo, está fechado ao público?

Considero que todo o conjunto patrimonial "Convento de Cristo" tem duas unidades delineadas de raiz e suas respectivas funcionalidades, dois programas.
Neste lugar de memória, com 9 séculos de história, temos dois espaços, duas vocações:

i) A vocação templária, o espaço do castelo e da antiga urbe de "Thomar", de abertura ao mundo, às redes e rotas internacionais ligadas ao próprio território mental e espiritual templário entre a Península Ibérica e Jerusalém.

ii) A vocação e organização espacio - funcional conventual da Ordem de Cristo, ainda hoje ordem honorifica de Portugal.

Todo este Espaço Tempo contido neste maravilhoso monumento constitui importantes âncoras entre culturas, crenças, civilizações e vontades, podendo considerar-se este um monumento como um "embaixador" junto de outras culturas mais ou menos próximas nos dias de hoje, nomeadamente da lusofonia, da língua portuguesa ou mesmo de outros credos e outras culturas à escala, hoje, global.

A marca CONVENTO DE CRISTO, património da humanidade, tem duas identidades - a Templária (Ordem dos Templários) e a da Ordem de Cristo, que, como atrás referi, ainda hoje é ordem honorífica de Portugal.

Estou convicta que a reabertura do Castelo ao público é uma medida fundamental para gerar o desenvolvimento não só de todo o conjunto monumental, como para dar maior força e identidade à cidade e região.

Na nossa história, tivemos um momento em que a ‘vila de cima', o actual Castelo, charola e muralhas, pelo encerramento das suas portas, deu lugar à ´vila de baixo' - a actual Cidade de Tomar.

Estamos noutro momento da nossa história com outro paradigma: vivemos num mundo local cada vez mais global.

Pretendo um monumento que abre as suas portas, que se assume como uma plataforma para o conhecimento, um ponto de encontro, lugar de convergência divulgação, um centro de aprendizagem para a criatividade e experiencia e descoberta, um lugar aberto para obras e um laboratório vivo, um recurso cultural proactivo mas também como um poderoso equipamento cultural, que aposta na sociedade do conhecimento, a grande aposta de desenvolvimento no século XXI em que estamos a viver uma revolução da sociedade de informação.

A simbologia da entrega da chave à senhora Presidente da Câmara para abrir a porta do castelo, foi um sinal aos cidadãos para fruírem o seu lugar de memória e em conjunto afirmarmos a marca ´Tomar Cidade Templária´ e a marca ´Convento de Cristo'.

SERVIÇOS - ACTIVIDADES


Destaques

{tit}

{tit}

{tit}

{tit}

 

{tit}

 

rss