Home Governo de Portugal DGPC Home UNESCO
English Version

Música nos Mosteiros Portugueses Património da Humanidade - Concertos em Rede - Canto Firme de Tomar, Associação de Cultura

Tomar, 25/07/2012

Música nos Mosteiros Portugueses Património da Humanidade - Concertos em Rede - Convento de Cristo - 25 de Agosto, sábado, 19:00, Entrada Livre

Concerto pela Canto Firme de Tomar, Associação de Cultura, sob a direção artística do Maestro António de Sousa.

Consulte AQUI a programação geral para Agosto e Setembro, nos vários Monumentos.

ALINHAMENTO do CONCERTO:

MÚSICA VOCAL - Dos solistas ao naipe. Canto-Chão / O INÍCIO DA POLIFONIA / OS INSTRUMENTOS COMO VOZES (Ensemble de trompetes) / O ORGÃO / POLIFONIA LITÚRGICA IBÉRICA - Thomaz Luis de Vittoria (sécs. XV e XVI) /A MÚSICA EM GIL VICENTE

 

A Ordem de Cister foi fundamental no periodo de consolidação da nossa nacionalidade. A história da música portuguesa ficou marcada por uma prática musical litúrgica estigmatizada indelevelmente pela austeridade e até rudeza do espírito cisterciense, ainda hoje observável em certos espécimes populares.

A Charola e o Coro Alto são extremamente representativos de todo este trajecto.

Na Charola temos a falta de claridade medieva matizada com o gosto estético do oriente, traduzido numas condições acústicas para a mensagem penetrar no espírito do ouvinte através de sons musicais.

O arco aberto para o Coro Alto e a sala do capítulo introduzem o ouvinte na luz, traduzida por um gótico profundamente português - o manuelino, representado em termos sonoros por uma polifonia profundamenteibérica herdeira da escolaborgonhesa etiquetada como franco-flamenga.

na proposta de concero que aqui se apresenta pretende-se elaborar um programa dirigido a um público até 150 pessoas, sentadas no espaço reservado entre o Coro Alto e a Charola, que mais do que um concerto público no sentido histórico do termo, traduza práticas musicais idealizadas para todos aqueles espaços. O Coro Misto Canto Firme, alunos e professores dos Cursos Profissionais de Instrumentista da Escola de Música serão intérpretes do repertório apresentado como se fossem actores, uma vez que o programa pretende constituir um guão espíritual e histórico.

SERVIÇOS - ACTIVIDADES


Destaques

{tit}

{tit}

{tit}

{tit}

 

{tit}

 

rss